Todos contra a dengue

Seu ar-condicionado possui uma destas proteções externas?

Fique atento! Elas podem servir como criadouro para o mosquito da dengue. Atente também para água parada em vasos de plantas, pneus velhos e telhas. Com o surto de dengue em nosso estado, todas as precauções são necessárias.

Dengue

Fotos: Portal Webarcondicionado; Google

Climatizador e ar-condicionado portátil: valem mesmo a pena?

Em pleno verão, com altíssimas temperaturas, todos estão à procura de meios para se refrescar, e opções no mercado não faltam. Nesta temporada tem crescido o número de pessoas que, em alternativa ao ar-condicionado, procuram climatizadores e aparelhos portáteis. Mas, afinal, é tudo a mesma coisa? Todos oferecem o mesmo resultado?

Qual a diferença entre um ar-condicionado convencional, um portátil e um climatizador?

O ar-condicionado tem como principal função regular a temperatura do ambiente, ou seja, a temperatura escolhida no controle será a temperatura em que o ambiente ficará. Ele geralmente fica fixado, e tem duas unidades: uma que fica fora do ambiente (condensadora) e outra que fica dentro (evaporadora). A condensadora libera o calor gerado no processo de resfriamento e a evaporadora libera o ar refrigerado. Esse processo gera água, que geralmente é drenada por uma mangueira na condensadora (por isso que você as vê pingando água). Os aparelhos atuais vêm também com filtros de ar, e alguns possuem inclusive sistemas especiais de tratamento. O valor maior e a necessidade de ficar fixo podem ser apontados como desvantagens deste tipo de aparelho.

404505004630052

O ar-condicionado portátil também regula a temperatura do ambiente de acordo com o que é programado, mas possui algumas diferenças. Como o próprio nome já diz, ele pode ser mudado de lugar facilmente, com a vantagem de ter uma instalação fácil, já que não requer furos em paredes ou no gesso e pode ser feita pelo próprio consumidor. Ele, ao contrário do ar-condicionado convencional, tem somente uma unidade, que fica dentro do ambiente. Entretanto, ele apresenta desvantagens. Como o processo de resfriamento exige troca de calor, é preciso que haja um tubo para levar o ar quente gerado para fora do ambiente, como pode ser visto na foto. Além disso, a água que é gerada pelo aparelho fica em um reservatório dentro dele, que precisa ser esvaziado frequentemente. Um aparelho de 18.000 btu/h, em um ambiente com alta umidade, pode condensar até 1 litro de água por hora, e os aparelhos mais acessíveis possuem reservatórios de no máximo 3 litros. Assim, não será de se espantar se o consumidor acordar com um bip de aviso de reservatório cheio, ou, pior, com o local alagado. Tanto o aparelho convencional quanto o portátil requerem um ambiente fechado para que consigam regular a temperatura.

TANGO_12

Por fim, o climatizador. Ao contrário dos outros dois, o climatizador não regula a temperatura do ambiente. A maior parte deles funciona com duas funções: ventilação e umidificação. Para que ele possa umidificar o ar, é preciso abastecer seu reservatório com água e mesmo que esta esteja gelada, não haverá grande diferença na temperatura do ambiente, mas somente na umidade. Entretanto, isso pode ser uma vantagem para pessoas com problemas respiratórios. Na função ventilação, a diferença em relação ao ventilador é que ele também filtra o ar. Este aparelho tem como vantagens ser muito portátil, não precisar que o ambiente esteja fechado e os preços mais baixos. É necessário, porém, deixar claro que ele não resfria o ambiente.

img_360_climatizador

Concluindo…

Para quem deseja que a temperatura do ambiente fique mais baixa a solução é o ar-condicionado. Quem optar pela versão portátil deve estar ciente dos prós e contras deste tipo de aparelho. Apesar da diferença de preço e da instalação mais trabalhosa, o aparelho convencional continua sendo a opção que oferece melhor resultado. O climatizador não altera a temperatura do ambiente. Ele, basicamente, irá funcionar como um ventilador, com a vantagem de poder umidificar o ambiente e filtrar o ar.

Conheça mais sobre o sistema VRF

Publicado originalmente em Frigemar:

Editado do site www.arcondicionado.refrigeracao.net

FB-FRIGEMAR-VRF

Apesar de ainda ser considerada uma solução de condicionamento de ar cara, o sistema de ar-condicionado com tecnologia VRF (Variable Refrigerant Flow – em português VRV, “volume de refrigerante variável”) vem aumentando sua participação no mercado de ar-condicionado brasileiro. De seis anos para cá tais sistemas saltaram de 2% do mercado para cerca de 9%.

O ar-condicionado com tecnologia VRV pode ser comparado, de grosso modo, a um multi-split, com uma condensadora e um grande número de evaporadoras. Tecnologia eletrônica sofisticada é empregada de modo a otimizar o uso da condensadora conforme o número de evaporadoras ligadas. Ele torna-se um candidato natural quando se cogita em substituir um sistema central.

Dentre as principais vantagens de um ar-condicionado com sistema VRF podemos destacar:

  • Facilidade de instalação comparando com um sistema central;
  • Menor custo operacional;
  • Emprego de gás ecológico (normalmente o R-410A);
  • Trabalha com diferentes tipos de unidades evaporadoras;

Ver original 226 mais palavras